Alto Paraíso

alto paraiso rondonia turismo

 

História

Surgiu como núcleo urbano de apoio rural (NUAR) do projeto de assentamento Marechal Dutra. Os primeiros colonizadores da região subiram uma elevação e descobriram uma paisagem exuberante e indescritível que lhes dava a impressão de ser o paraíso prometido. Daí teria surgido o nome que denominava um paraíso existente num lugar alto.

 

 

Geografia

Sua população estimada em 2010 era de 17.144 habitantes. É conhecida como a Capital do Jerico, devido ao número excessivo desse tipo de “veículo” na região. Anualmente ocorre a tradicional corrida dos “jericos”. As atividades econômicas que predominam são a produção de café, pecuária e a indústria madeireira e conta com aproximadamente 1000 km de estradas rurais. A cidade é ligada à BR 364 através da RO 459, encontrando-se à 56 km de Ariquemes e à 200 km de Porto Velho. Localiza-se a uma latitude 09º42’47” sul e a uma longitude 63º19’15” oeste. Possui uma área de 2.658 km².

 

Hidrografia

O município é banhado por diversos rios, entre eles o rio Tabócas, bem próximo à cidade, também o Massangana, o Santa Cruz, o Candeias na divisa com o município de Porto Velho e o rio Jamari, importante rio que é usado pela Usina Hidrelétrica de Samuel.

 

 

O Jerico

O jerico, que no nordeste é um nome dado ao jumento, em Alto Paraíso é um pequeno veículo de fabricação caseira, aproveitando o chassi de um carro desmontado e adaptando um motor estacionário, de 1 ou 2 pistões, dando muita força para carregar madeira, sacos de café e alimentos dos agricultores até a cidade. Sua origem na cidade é atribuída à alguns antigos moradores catarinenses que já fabricavam o veículo em Santa Catarina. O veículo se popularizou na cidade desde a década de 1980, devido à fabricação não ser tão difícil, também pelas estradas nesse tempo serem precárias e os veículos novos serem caros para os moradores, já que em sua maioria eram pessoas recém chegadas ao município, com poucos recursos. Desde então o número de jericos só aumentou, especula-se que hajam mais de 1.000 jericos em Alto Paraíso.

A Corrida de Jericos

Todos os anos, desde 2000, acontece a tradicional Corrida de Jericos Motorizados, maiormente no mês de Fevereiro junto com as festividades do aniversário da cidade, atraindo milhares de pessoas do Brasil e do mundo, sendo considerada a maior festa do interior do estado.

A Corrida de Jericos acontece na época das chuvas na região e por esse motivo a festa é realizada em meio à muita lama, fazendo com que muita gente volte pra casa completamente enlameado. Como a cidade possui poucos hotéis, a maioria dos visitantes dorme em barracas por toda a cidade.

A corrida impulsiona a economia da cidade, já que muitos moradores alugam suas casas por até 1 semana para os visitantes enquanto, na casa de amigos, esperam a festa acabar. Isso sem contar o faturamento do comércio local, já que em algumas vezes a festa já atraiu ao redor de 50 mil visitantes.

 

 

Economia

A economia do município gira em torno da madeira, do cultivo de café e da pecuária. Porém o ramo da madeira em Alto Paraíso pode ter os dias contados, devido aos programas de combate ao desmatamento do governo e de ONGs, além da própria madeira de corte estar se esgotando na região. As cerca de 20 serrarias da cidade, nos dias de hoje, trabalham maiormente com madeira que antes eram consideradas de baixa qualidade.

O município também já foi grande produtor de café no estado, com milhões de pés plantados, mas devido à crise nas exportações que ocorreu entre 2002 e 2003, em que o preço do kg despencou da faixa dos R$ 3,00 para até R$ 0,35 grande parte dos produtores, com dívidas nos bancos, deram fim às suas plantações, passando à investir em gado nelore e leiteiro. Porém o café ainda hoje representa grande parcela na economia do município. Há também alguns poucos produtores de soja no município, já que a região não possui experiência nesse tipo de cultivo, além de cultivo de cacau, milho, arroz e guaraná em menores escalas.

A criação de gado também move a economia de Alto Paraíso. Segundo o Idaron, em 2012 já são 217 mil cabeças em todo o município. A cidade não possui frigorífico, apenas matadouros particulares que vendem a carne para os açougues e supermercados da cidade. Grande parte do gado de corte é vendida para os frigoríficos de Ariquemes. A produção de leite foi responsável por um grande aumento da economia nos últimos anos. Até 2008 a produção de leite era de aproximadamente 10 mil litros por dia, em 2012 já são 50 mil litros por dia.

 

 

Religião

É um povo religioso, com um número crescente de evangélicos, como acontece no resto do Brasil. De acordo com o Censo 2010, os católicos correspondem à 59,0% da população, enquanto os evangélicos são 28,5%, já 12,3% afirmam não ter religião e 0,2% da população professa outra religião, como espíritas e umbandistas.

No dia 12 de outubro os católicos da cidade comemoram o dia de Nossa Senhora de Aparecida com uma procissão do centro da cidade até a Igreja da Serrinha, em um percurso de pouco mais de 5 km, onde no final sobem as escadarias da serra e celebram uma missa na igreja. O número de evangélicos tem crescido muito, atualmente a cidade possui quase 30 igrejas evangélicas de várias denominações. Geralmente na época das festividades do aniversário da cidade em fevereiro, é realizado um culto ecumênico com a maioria delas, além de um festival de música gospel onde se apresentam vários jovens.

 

 

Prefeitura Municipal

Facebook Twitter Google+ linkedin email More
Copyright © Rondônia Turismo - Conheça as belezas de Rondônia .